e Romance traça paralelo do Brasil Colonial com o início da corrupção no país ~ Diário do Moretti
Facebook

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Romance traça paralelo do Brasil Colonial com o início da corrupção no país




Amigos, professores, jornalistas, leitores, seguidores...

Tenho o prazer de anunciar o lançamento do livro "Os Conquistadores", romance juvenil editado pela Novo Século. Depois de 4 anos da edição do "Eu, Sumé" estou de volta com mais uma história, desta vez, sobre os sertanistas e suas expedições pelas florestas brasileiras na época do Brasil-Colônia. Aventureiros, eles saem em busca de tesouros perdidos em meio aos perigos das matas, seus animais, os índios e toda sorte de possibilidades. Na luta pelo poder e glória, há as tramas, as tragédias e os dramas individuais que atingem todo o grupo. Mas há, além da dureza, sinais de suavidade e momentos para o romance. Por isso, convido você a ler o release abaixo e participar comigo do lançamento desta nova obra.

                                                       (Marco Moretti)


A obra “Os Conquistadores” tem como ponto central as primeiras sete décadas da conquista do Brasil pelos europeus e permite que o leitor compreenda os primórdios da corrupção a destruição ambiental no país

Capa 
Durante o século XVI, os europeus devastaram as matas brasileiras atrás do precioso pau-brasil e de animais exóticos para serem traficados. Quando não estavam em busca de riquezas naturais, promoviam incursões armadas a aldeias indígenas para capturar os chamados “Negros da Terra”, os escravos nativos que iriam fornecer a mão de obra necessária ao mercantilismo lusitano. É nesse cenário nada auspicioso, de olhares desconfiados, espadas afiadas sempre prontas para serem desembainhadas à menor provocação, traições e escaramuças em cada curva do caminho que se passa a trama de Os Conquistadores. Trata-se do segundo romance do jornalista e professor Marco Moretti, mestre em Comunicação Social pela USP.

O livro, editado pela Novo Século, chega às livrarias no mês de outubro para fazer os leitores refletirem sobre os males de hoje no Brasil que começaram à época da conquista da Terra de Santa Cruz. “Os Conquistadores” remonta ao século XVI para mostrar os primórdios de problemas como a corrupção, a ambição desenfreada dos poderosos, o descaso com as populações nativas, a destruição ambiental, a imposição de uma cultura e uma religião estranha ao novo país. Moretti procurou ser o mais criterioso possível com as informações históricas contidas no livro, no qual muitos dados, nomes e procedimentos mencionados existiram de fato. O livro faz um mix de gêneros: aventura, épico histórico, suspense, mistério, fantasia, drama, tragédia. É direcionado para o público jovem ou adulto que gosta de uma boa história para prender a atenção e fazer refletir.

Para facilitar a leitura, o livro “Os Conquistadores” é dividido igualmente em duas partes. A primeira tem um tom mais realista, enquanto a segunda é mais fantástica e surrealista. Há um mistério na trama que só é revelado na última página e explica tudo o que aconteceu antes. A história principal relata a viagem dos expedicionários pelos nossos sertões em busca de um tesouro fictício, outras tramas se entrecruzam no caminho. A principal delas é um triângulo amoroso gay carregado de tensão, ciúmes, ódio e desejo de vingança.

Pode dizer-se que o diferencial do “Os Conquistadores” está na leitura com trilha sonora. Muitos capítulos, por exemplo, possuem uma sugestão para que o leitor acompanhe a leitura ao som de uma composição clássica (Beethoven e Tchaikovsky entre outros). Essas composições serão disponibilizadas no blog do autor (www.diariodomoretti.com.br) e numa página do Facebook para quem quiser ouvir enquanto lê o livro e, futuramente, deverá estar na versão em e-book do romance. Além disso, o livro possui, em alguns trechos, grafismos que ajudam a dar um toque de originalidade à obra. Numa sequência, por exemplo, um dos personagens perde a consciência e as páginas então escurecem gradualmente até ficarem completamente negras. Esses grafismos correspondem, no cinema, à divisão em múltiplas telas que mostram acontecimentos simultâneos, como na série de TV 24 Horas.

Outro aspecto importante do livro é a narrativa convencional intercalada com poemas. Há um poema dividido em estrofes e em versos decassílabos rimados, ao estilo dos antigos poemas épicos que eram escritos no século XVI, como “Os Lusíadas”, de Camões, e que serve de contraponto a trama principal.

Sobre o autor
Jornalista, Mestre em Comunicação Social pela USP e coordenador e professor do curso de Jornalismo na Universidade Paulista (Unip), Marco Moretti trabalhou em diversos órgãos de imprensa, como o extinto jornal Folha da Tarde, e como editor-chefe na Editora Abril foi responsável por diversas publicações. O seu primeiro romance, Eu, Sumé, publicado em 2011 também pela Editora Novo Século, ficou entre os finalistas da categoria Juvenil do Prêmio Jabuti de 2012. Atualmente publica com regularidade contos e resenhas críticas de cinema, literatura e HQs em seu próprio blog, “Diário do Moretti” (www.diariodomoretti.com.br). Os Conquistadores é o seu segundo romance.

Dados sobre o livro

Título: Os Conquistadores
Autor: Marco Moretti
Gênero: Romance
Número de páginas: 480
Editora: Novo Século, São Paulo

Preço: R$ 45,00

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Blogger Templates